Palavreando
Sobre mim
Nome: O Palavreando é um blog que tem um pouquinho de tudo e de tudo um pouquinho: Entretenimento, literatura, arte, internet, política, comportamento, educação, denúncia, etc


É também ponto de encontro de pessoas ávidas por uma leitura despojada. Portanto, "Seja muito bem vindo!

Sobre a autora do blog: Eu sou Janethe Fontes, escritora, e este é o meu cantinho. Sempre que possível, eu escrevo "alguma coisa" e posto aqui, mas não é diário, nem semanal e nem mensal... é sempre que eu consigo um tempinho em meio a correria do meu dia-a-dia, ok??


Redes Sociais
Histórico
Leituras Sugeridas
Outros sites

Contador

contador, formmail cgi, recursos de e-mail gratis para web site


O que é isto?

XML/RSS Feed

Newsletter
Nome:
E-mail:

Incluir Remover

Free Mailing Lists from Bravenet.com


Créditos





Recortes da Semana - Tudo aquilo que li e recomendo para você! De 26 a 30/08/13

 

Tudo aquilo que li durante a semana estará aqui em forma de "Clipping" (recortes). Um apanhado de textos que, acredito, são importantes para o conhecimento dos meus leitores e seguidores. Curta, comente e faça também as suas recomendações!! Vou adorar saber sua opinião!

 

 

Vergonha alheia: Médicos cubanos são hostilizados na chegada ao Brasil! Esta semana senti muita vergonha pela atitude de alguns representantes de nossa classe médica, que recebeu os médicos cubanos com vaias e muito preconceito!

 

“Em nenhum país do mundo, os médicos cubanos estão sendo tratados como no Brasil. Aqui, são chamados de "escravos" por colunistas da imprensa brasileira (leia mais aqui) e hostilizados por médicos tupiniquins, como se estivessem roubando seus empregos e suas oportunidades. Foi o que aconteceu ontem em Fortaleza, quando o médico cubano negro foi cercado e vaiado por jovens profissionais brasileiras.”

 

Importante salientar que os cubanos, assim como os demais profissionais estrangeiros, irão trabalhar nas regiões que os médicos brasileiros NÃO tiverem interesse, apesar da bolsa de R$ 10 mil oferecida pelo governo brasileiro. Então, eles não estão tirando emprego de ninguém. Mesmo assim, foram hostilizados (leia mais aqui).

 

 

A polêmica do momento é a música Trepadeira do cantor de rapper Emicida. A música, sem dúvida alguma, é demasiadamente machista. Além disso, ainda incita a violência contra a mulher.

 

MERECE ERA UMA SURRA de espada-de-são-jorge / UM CHÁ DE COMIGO-NINGUÉM-PODE.

 

Mas Emicida, em um texto que postou em sua página no Facebook,  respondendo à polêmica, usa a desculpa de que se trata de uma poesia e disse que “não esperava, em momento algum, com nenhuma das canções, levantar um policiamento sobre como homens ou mulheres conduzem suas vidas sexuais. Aliás, por gostar de sexo, é vital que as garotas também gostem e se sintam livres para externar isso quando bem entenderem, fazendo o que bem entendem com seus corpos. Embora pareça óbvio para nós, muitos não conseguem entender que os corpos das mulheres são das mulheres e ponto final. Compreendo que esse ponto é um tabu e que minha opinião sobre o tema não é a da maioria na sociedade machista e patriarcal em que vivemos.”

 

Porém, o fato é que a música é uma afronta para aqueles que lutam por igualdade de gênero, já que obviamente deprecia a mulher sexualmente livro e ainda justifica a violência doméstica.

 

Leia o texto completo do Emicida aqui:

http://jovempan.uol.com.br/entretenimento/cultura/2013/08/emicida-vira-alvo-de-feministas-por-dizer-que-mulher-promiscua-merece-surra-em-nova-faixa.html

 

#Lamentável

 



- Postado por quem? Palavreando Quando? 00:24

[ ]


[ envie esta mensagem ]


-------------------------------------------------------------------



Recortes da Semana - Tudo aquilo que li e recomendo para você! De 17 a 23/08/13

 

Tudo aquilo que li durante a semana estará aqui em forma de "Clipping" (recortes). Um apanhado de textos que, acredito, são importantes para o conhecimento dos meus leitores e seguidores. Curta, comente e faça também as suas recomendações!! Vou adorar saber sua opinião!

 

Nota: Esta não foi uma semana muito produtiva em termos de leitura, já que precisei me dedicar quase que exclusivamente a outro tipo de trabalho. E as poucas leituras que conseguir fazer foram relacionadas a este novo trabalho. De qualquer forma, abaixo, um pouquinho do que deu tempo de ler:

 

Maternagem:  Na semana passada, comentei neste blog sobre a “paternagem”, em homenagem ao dia dos pais (veja o vídeo aqui e o texto aqui). Daí, me senti na obrigação de esclarecer também sobre a maternagem. Afinal, creio que alguns dos meus leitores não conheçam a palavra e até mesmo tenham confundido com maternidade, que é o processo biológico de tornar-se mãe; uma condição física, instintiva. Todas as fêmeas, exceto algumas espécies de animais, e outras situações que não precisam ser citadas aqui, podem tornar-se mãe. Já a maternagem não tem a condição biológica como fundamento. Está totalmente amparada no amor, no desejo de proteger, de cuidar, de ensinar, independente de vínculo sanguíneo e da orientação sexual do cuidador. Qualquer um pode maternar/amar/cuidar. A maternagem é uma escolha!

 

 

Eu adorei a mensagem abaixo, de autoria de Mia Couto, em entrevista ao G1. Às vezes, você ouve de alguém algo que está em seu coração, mas que você não colocou em palavras:

 

...Cada um tem um aspecto, um propósito diferente. O primeiro, o "Guardador de rios", é uma história real e, para mim, simbólica. É uma história que vale a pena lembrar. É sobre um programa que foi feito no Gurué, na província da Zambézia (norte do país). Um homem foi ensinado a medir o nível do rio com as horas e os metros. Ele fazia isso todos os dias, registrando em um formulário. Depois veio a guerra, esse programa desapareceu, e o homem perdeu contato com o resto do mundo. Quando, 16 anos depois, foram visitar aquele lugar, encontraram o homem trabalhando. Ele já não tinha formulário, claro. Escrevia com um pedaço de carvão em uma grande parede. E essa história para mim é muito bonita. Sobre alguém que não desistiu da sua missão. É uma lição para mim. Como se fosse um contrato que ele tivesse com o próprio rio. É isso que eu quero fazer: converter o mundo em uma página e escrever nela como se fosse uma lição, nem que seja só para mim!

 

Obs: Os grifos são meus.

 

 

Cultura do Estupro: Alguns dizem que não existe cultura do estupro, que é invenção. Mas, basta dar uma rápida olhada nas reportagens que envolvem violência sexual contra a mulher e ler os comentários dos “cidadãos comuns” para perceber que isso não é uma utopia. Muito pelo contrário, é uma realidade cruel. A vítima quase sempre é culpabilizada. Veja aqui.

 

Quer dizer que a mulher não pode sair de casa? Não pode ir a um baile à noite? Não pode se divertir? Do contrário, ela está "pedindo" para ser estuprada? Que sociedade é está que culpa a vítima invés do criminoso?!?

 

#INDIGNAÇÃO e #NOJO!

 

Esta semana se fechou para mim com muita #indignação!

 

- Gente sendo assassinada com armas químicas na Síria, entre elas, crianças inocentes e indefesas!

 

- Pessoas sendo "caçadas" na Rússia, por serem homossexuais!

 

- Animais sendo cruelmente machucados/assassinados e expostos no facebook, como um troféu.

 

Até onde pode chegar a estupidez humana?!

 

#Indignação, #indigna

Indigna, #inação

 



- Postado por quem? Palavreando Quando? 16:48

[ ]


[ envie esta mensagem ]


-------------------------------------------------------------------